Escola de Pedro Nunes


Go to content

Pedro Nunes

A Escola


Sabe quem foi Pedro Nunes?

1502 - 1578

Pedro Nunes foi um grande matemático e astrónomo português. Foi cosmógrafo-mor do reino. Foi autor de "Tratado da Esfera", "Tratado sobre Certas Dúvidas de Navegação - Definição da Carta de Marear", "Tratado dos Crepúsculos".Foi o genial inventor do Nónio (Instrumento de matemática, para medir com a máxima exatidão as frações de uma divisão numa escala graduada). Este invento foi introduzido num outro instrumento que servia para avaliar a posição dos astros e a sua altura acima do horizonte, chamado Astrolábio.Com este invento, Pedro Nunes deu um valioso contributo para o desenvolvimento da navegação.


1502 - Nasce em Alcácer do Sal.
1522 - Estuda na Universidade de Salamanca donde sai licenciado em Artes.
1525 - A convite de D. João, 1º filho de D. Manuel I, volta para Portugal para lecionar a Cadeira de Matemática na Universidade Portuguesa.
1529 - 16 de novembro - É nomeado Cosmógrafo do Reino, então já bacharel em Medicina por Lisboa.
4 de dezembro - É encarregado da regência de uma cadeira de Filosofia Moral na Universidade de Lisboa.
1530 - É investido no magistério da cadeira de Lógica, na mesma Universidade.
1531 - É convidado para reger a cadeira de Metafísica, ainda na Universidade de Lisboa. A 13 de agosto, D. João III convida-o para professor dos seus 6 irmãos.
1532 - 27 de janeiro - Deixa o exercício da docência na Universidade para se dedicar a tempo inteiro ao cargo de Cosmógrafo. 16 de fevereiro - Termina a licenciatura em Medicina na Universidade de Lisboa.
1537 - 1 de dezembro - Publica em língua portuguesa o volume "Tratado da Sphera".
1542 - Janeiro - Publica o "De Crepusculis", uma das obras que mais reputação lhe deu nos meios científicos.
1544 - D. João III encarrega-o da regência da Cadeira de Matemática e Astronomia da Universidade, então já instalada em Coimbra, desde 1537. Manteve-se neste lugar até 1562.
1546 - Em Coimbra é impresso o seu trabalho "De erratis Orontii Finei, Regii MathematicarumLutetiae Professoris".
1547 - 22 de dezembro - É nomeado Cosmógrafo-mor do Reino, época em que haviam terminado as grandes descobertas geográficas dos portugueses.
1548 - É feito Cavaleiro do Hábito de Nosso Senhor Jesus Cristo.
1555 - Eleito para proceder à reforma dos Estudos Universitários, juntamente com Baltazar de Faria.
1557 - 11 de junho - Morre D. João III. A Rainha D. Catarina autoriza, por despacho de 21 de outubro, Pedro Nunes a estar ausente da regência da sua Cadeira na Universidade durante três ou quatro anos, para se ocupar de tarefas ligadas à ciência das navegações. 20 de dezembro - Pedro Nunes apresenta ao Conselho da Universidade de Coimbra um alvará de lembrança em que a Rainha determina que os 4 anos que ele iria passar na Côrte, e os 3 anos em que foi professor na Universidade de Lisboa lhe fossem contados para efeito do cômputo de jubilação.
1562 - Julho - É-lhe concedida a jubilação por diploma de D. Catarina, sua última interferência como Regente do Reino.
1566 - Publica em Bâle, o volume "Petri Nonii Salaciensis opera", trabalho em que são refundidos e ampliados os trabalhos que, em 1537, publicara com o título Tratado da Sphera, mas agora acrescidos de novos escritos. Aqui aparece pela primeira vez uma das suas obras mais notáveis: o tratado "De Arte atque ratione navigandi em conjunto com o DeCrepusculis".
1567 - Publica em língua castelhana, na cidade de Antuérpia, o seu "Libro de Algebra en Arithmetica y geometria".
1568 - A 11 de outubro, chamado pelo Rei D. Sebastião, é-lhe proposta a tarefa de reformar os pesos e medidas do Reino, reforma que foi promulgada por lei, em 1575.
1572 - Setembro - D. Sebastião encarrega-o de organizar uma cadeira de matemática e astronomia expressamente programada para instrução de pilotos e mareantes.
1576 - Já viúvo, deixa Lisboa para se fixar em Coimbra.
1577 - Recebe convite do Papa Gregório XIII para se pronunciar sobre um projeto de Reformado Calendário.
1578 - 11 de agosto - Morre Pedro Nunes (uma semana após o desastre de Alcácer-Quibir).

Pedro Nunes
- Glória da Ciência portuguesa e universal.
Nónio - Descrito na "Proposição III" da segunda parte do "De Crepusculis", é uma peça acessória - graduada em graus, minutos e segundos - que Pedro Nunes pensou juntar à linha do astrolábio náutico com o fim de medir frações do grau, peça que entre nós ficou conhecida pelo nome de "nónio" (em honra a nonius) e que, no dizer do seu autor, se destinava "às observações dos astro e com o qual se possam determinar rigorosamente as respetivas alturas".


Home Page | A Escola | Geral | Inscrições | Avisos | Carta aos Pais | Galeria | Contactos | Ligações | Protocolos | Site Map


Back to content | Back to main menu